free stats


     
 

Publicidade:


Foxkeh
Melhor visualizado
com Firefox 3.0
e 1024x768


Contato:
pcezar87@gmail.com

Comunidade Luz Vermelha
Os perdedores:
Lun�tico
Monstro de escuridão e rutilância, foi replicado a partir dos restos de sêmen de uma iguana presentes em ranhuras duma rocha antiga encontrada no Golfo do México. Responsável pela produção caseira atual do jogo PONG, programa com sua sapiência símia altas coisas. Decorador nas horas vagas. Tipo, ele faz o design do blog.
N�voa
Hippie e sujo, trabalha como vassoura humana para garantir seu angu no final do dia. Voou pelo mundo no seu tapete mágico defendo idéias como beat e vorticismo. Só sabe tocar Hurricane do Bob Dylan, e estranhamente, expele fumaça roxa ao fumar, por isso, o apelido.
Larica
Garoto maconheiro e pederasta, nasceu caolho. Usa um tapa-olho. Perdeu a perna durante intercurso na antiga União Soviética com um Urso Pardo. Atualmente vive de esmola no centro de São Paulo.
Death Nails
Tocador de zabumba eletrônica, mora com seu rato de estimação, Lester e uma réplica em tamanho real da tartaruga ninja Leonardo. Tipo sanguíneo: C+. Gosta de caminhar na praia com uma cabeça de bode e é satanista, oh maldito.

Histórico:


Jabá:

Estatísticas

Agradecimentos:



Design por Lunatico

 
     
 
 
Inscreva-se no Luz Vermelha
 
     

Frase Aleatória:

sexta-feira, novembro 02, 2007
A natividade de Pantagruel

 

VIVAA!!! Mas... como?

Olá abortos da sociedade. Só quero avisar lhes, que hoje é um dia especial. Esse será meu primeiro post nesse novo layout maravilhoso, diga-se de passagem, feito pelo nosso lunático. Estás de parabéns. Agradecimentos e fofocadas a parte, hoje vamos entrar mais dentro na merda psicodélica. Vamos falar sobre a natividade de Pantagruel.

Pantagruel, como todos vocês sabem, foi meu ex companheiro de guerra, na atroz guerra civil do Butão. Lutamos ferozmente contra as terríveis garras do totalitarista Pin Zya Suong. Foi uma história meio complicada... pois enquanto o mundo estava lutando contra o comunismo, nós estavamos lá, justamente para destruir o protocapitalismo, lá instituido! Bizarro, não? Mas entenda nos. Eramos meros agentes da ABIN (Agência Brasileira de Inteligência Nacional), estavamos extremamente entendiados naquela época, eramos mais inutéis que a CPMF, e aquela música do Ultragem a Rigor, juntos. sabiamos que tinhamos o poder de um rígido e intensivo treino de guerra e e tática bélica. Por isso decidimos que uma estada em Thimphu, capital do Butão, em plena guerra civil, não nos faria mal nenhum. Foi uma decisão bastante precipitada.


As mulheres butanesas eram de enlouquecer o próprio diabo!

Com o cacete numa mão, e nosso passaporte ultra-secreta na outra, embarcamos para o que marcaria o resto de nossas vidas. A viagem foi bastante agradável, comemos lagosta no avião. Enfim, ao chegarmos lá, logo nos dirigirmos para o castelo do Pin Zya Suong, que nos recebeu com graça e cortesia, afinal, não é sempre que essas cópias mal feitas de chineses vêem dois cacetes grandes. Eles nos ofereceu cama, comida, privada, e além de tudo mais, mulheres. Ah, nós nos divertimos bastante! Aquelas mongolianas tinham um dom com seus pés peludos! Depois de muita sacanagem e putaria, fomos para a sala psicodélica de jantar com nosso amigo ditador, onde jantamos pedaços dos mortos da guerra civil, e tomamos muito ácido. Gozamos e disfrutamos os prazeres da vida em uma noite bastante quente, porém agradável.


Pantagruel era um terrível "gourmant"...


Infelizmente já estava na hora de contarmos para nosso novo amigo, da nossa causa. Desolado, eu contei que tinhamos que acabar com essas ofertas de comodities no mercado mundial, privatizações de empresas nacionais, e seus acordos com o FMI, antes que o Butão acabe com si mesmo. Claro, estou falando de acabar com o capitalismo "colonial" que existe nos países de terceiro mundo, que não têm uma base para crescer, por isso a natureza humana aproveita extensivamente desse apetrecho, e suga todos os recursos desses pobres países. Resumindo, depois de 3h de discurso, eu disse que eu iria matá-lo e implementar o comunismo. Ele, já muito doidão, demorou um pouco para captar a mensagem, e exigiu paciência.Depois de alguns minutos de espera, ele indagou se estavamos loucos.

Respondi que estavamos tanto quanto ele.


Pelo jeito ele não estava tão louco assim. Ele acabou chamando a guarda dele, e nós iniciamos nossa fuga. Mas o pobre Pantagruel, que não disse nenhuma palavra aquela noite, de tanto pentelho (de onde vocês pensam que vem o Kashmir?) que ele acumulou nas cord
as vocais, estava completamente alucinado, e tentou enrabar os tais guardas. Foi infeliz na tentiva, e foi enrabado de volta, por todos os guardas. Ao ver isso, não tive escolha, e tive que operar o código nº23 artigo 2 do livro de sobrevivência da ABIM:"Quando um amigo seu está sendo enrabado por vários mongois frenéticos, corra o mais rápido que você puder." Eu corri, corri bastante.

O suficiente para chegar até Paris, e pegar um avião de lá. Acho que corri o suficiente para nunca mais vê-lo. Meu caro e pobre amigo, Pantagruel. Ele era um gigante gentil. Mesmo com internet, eu nunca o achei em sites de relacionamento como ocú, e sexpals. E também fui banido do Butão por atentado ao capitalismo nacional deles.


Escrevi essa curta, longa história in memorian, do nosso amigo Pantagruel, cujo pai, Garganthua, sente terrivelmente sua falta, e não tem dúvidas que seu filho virou um traveco das ruas fétidas de Thimphu. De fato ele tem razão. Segundo alguns fatos ocultos da ABIN, dizem que ele foi pioneiro no sexo de gigantes gays, ou seja, homogigantofilia.

Passar bem.


Excelente disco.

Expelido por: larica às 22:17
|



Layout por lunatico - Luz Vermelha 2009