free stats


     
 

Publicidade:


Foxkeh
Melhor visualizado
com Firefox 3.0
e 1024x768


Contato:
pcezar87@gmail.com

Comunidade Luz Vermelha
Os perdedores:
Lun�tico
Monstro de escuridão e rutilância, foi replicado a partir dos restos de sêmen de uma iguana presentes em ranhuras duma rocha antiga encontrada no Golfo do México. Responsável pela produção caseira atual do jogo PONG, programa com sua sapiência símia altas coisas. Decorador nas horas vagas. Tipo, ele faz o design do blog.
N�voa
Hippie e sujo, trabalha como vassoura humana para garantir seu angu no final do dia. Voou pelo mundo no seu tapete mágico defendo idéias como beat e vorticismo. Só sabe tocar Hurricane do Bob Dylan, e estranhamente, expele fumaça roxa ao fumar, por isso, o apelido.
Larica
Garoto maconheiro e pederasta, nasceu caolho. Usa um tapa-olho. Perdeu a perna durante intercurso na antiga União Soviética com um Urso Pardo. Atualmente vive de esmola no centro de São Paulo.
Death Nails
Tocador de zabumba eletrônica, mora com seu rato de estimação, Lester e uma réplica em tamanho real da tartaruga ninja Leonardo. Tipo sanguíneo: C+. Gosta de caminhar na praia com uma cabeça de bode e é satanista, oh maldito.

Histórico:


Jabá:

Estatísticas

Agradecimentos:



Design por Lunatico

 
     
 
 
Inscreva-se no Luz Vermelha
 
     

Frase Aleatória:

segunda-feira, dezembro 24, 2007
Multiplas Personalidades

 

Falsário com 135 identidades é preso no Rio


Um estelionatário identificado como José Luiz Drummond, 54 anos, foi preso ontem, no Rio, com 135 documentos diferentes, usados para aplicar golpes em grandes lojas de departamentos. Ele foi flagrado tentando comprar um laptop na loja de uma grande rede de varejo de eletrodomésticos.

Dupla personalidade é coisa de babaca. O que tá na moda mesmo é cento e trintaquintupla personalidade.

O caso está na 35ª DP (Campo Grande). Segundo a polícia, Drummond vem aplicando golpes há pelo menos três anos. Ele apresentou toda a documentação para comprar um laptop e foi informado pelos vendedores de que só havia o equipamento exposto na vitrine, e aceitou levá-lo.

Pô, minha gente, o cara só tava nervoso porque queria um autógrafo do Capitão Nascimento...

O vendedor pediu que ele aguardasse, quando um vigilante chegou perto do estelionatário e achou que ele estava nervoso. Drummond então disse que ia tomar um café, mas o vigilante o segurou e chamou dois guardas municipais - da 13ª inspetoria - que faziam patrulhamento no calçadão de Campo Grande.

Cadê o espírito natalino dos policiais cariocas? Já tem tanto bandido solto lá em Brasília, um estelionatário a menos ou a mais num faz diferença...

Expelido por: lunatico87 às 02:04
|



Layout por lunatico - Luz Vermelha 2009