free stats


     
 

Publicidade:


Foxkeh
Melhor visualizado
com Firefox 3.0
e 1024x768


Contato:
pcezar87@gmail.com

Comunidade Luz Vermelha
Os perdedores:
Lun�tico
Monstro de escuridão e rutilância, foi replicado a partir dos restos de sêmen de uma iguana presentes em ranhuras duma rocha antiga encontrada no Golfo do México. Responsável pela produção caseira atual do jogo PONG, programa com sua sapiência símia altas coisas. Decorador nas horas vagas. Tipo, ele faz o design do blog.
N�voa
Hippie e sujo, trabalha como vassoura humana para garantir seu angu no final do dia. Voou pelo mundo no seu tapete mágico defendo idéias como beat e vorticismo. Só sabe tocar Hurricane do Bob Dylan, e estranhamente, expele fumaça roxa ao fumar, por isso, o apelido.
Larica
Garoto maconheiro e pederasta, nasceu caolho. Usa um tapa-olho. Perdeu a perna durante intercurso na antiga União Soviética com um Urso Pardo. Atualmente vive de esmola no centro de São Paulo.
Death Nails
Tocador de zabumba eletrônica, mora com seu rato de estimação, Lester e uma réplica em tamanho real da tartaruga ninja Leonardo. Tipo sanguíneo: C+. Gosta de caminhar na praia com uma cabeça de bode e é satanista, oh maldito.

Histórico:


Jabá:

Estatísticas

Agradecimentos:



Design por Lunatico

 
     
 
 
Inscreva-se no Luz Vermelha
 
     

Frase Aleatória:

sexta-feira, julho 04, 2008
Morri na praia

 
Triste melancolia de morrer na praia. Nado, nado, nado nadonadonadonaodnaodndoandoandoandoandoandoadnoanodad... e nado. E nada. Permaneço no nada.

Algumas vezes na vida, um indivíduo tem que passar por tal experiência traumâtica. A experiência da derrota, do fracasso. Fui vencido. E o ser humano nasce para vencer correto? Não importa as consequências, e sim os resultados. Claro que a minha cagada foi irrecuperável. Mas tentei consertá-la. E morri na praia.

Pois é galera. O mar de Cancun é bonito e tal, mas quero ver alguém ter audácia de desafiá-lo. Uma merda. Odeio machucar os sentimentos de alguém.

Ai ai... mais um pecado para jogar em cima dos ombros.

Moral da história: Não apupe (xingue) em vão. Guarde os palavrões mais gostosos de se pronunciar como "merda" e "puta que pariu" para os melhores (piores) momentos.

Marcadores:

Expelido por: larica às 18:04
|



Layout por lunatico - Luz Vermelha 2009