free stats


     
 

Publicidade:


Foxkeh
Melhor visualizado
com Firefox 3.0
e 1024x768


Contato:
pcezar87@gmail.com

Comunidade Luz Vermelha
Os perdedores:
Lun�tico
Monstro de escuridão e rutilância, foi replicado a partir dos restos de sêmen de uma iguana presentes em ranhuras duma rocha antiga encontrada no Golfo do México. Responsável pela produção caseira atual do jogo PONG, programa com sua sapiência símia altas coisas. Decorador nas horas vagas. Tipo, ele faz o design do blog.
N�voa
Hippie e sujo, trabalha como vassoura humana para garantir seu angu no final do dia. Voou pelo mundo no seu tapete mágico defendo idéias como beat e vorticismo. Só sabe tocar Hurricane do Bob Dylan, e estranhamente, expele fumaça roxa ao fumar, por isso, o apelido.
Larica
Garoto maconheiro e pederasta, nasceu caolho. Usa um tapa-olho. Perdeu a perna durante intercurso na antiga União Soviética com um Urso Pardo. Atualmente vive de esmola no centro de São Paulo.
Death Nails
Tocador de zabumba eletrônica, mora com seu rato de estimação, Lester e uma réplica em tamanho real da tartaruga ninja Leonardo. Tipo sanguíneo: C+. Gosta de caminhar na praia com uma cabeça de bode e é satanista, oh maldito.

Histórico:


Jabá:

Estatísticas

Agradecimentos:



Design por Lunatico

 
     
 
 
Inscreva-se no Luz Vermelha
 
     

Frase Aleatória:

quinta-feira, março 12, 2009
15 minutos

 
Eu queria ver o que seria capaz de escrever em quinze minutos. Digamos que será um texto experimental, mas um começo para um mais concreto. Eu vou escrever sem parar, e sem pensar. Vou postar no instante que eu acabar. Vamos ver se vai ficar engraçado(ah, e qualquer erro gramátical é para ser deixado do jeito que tá. Afinal, esse texto será em prol da arte):

"Olá, como vai?". "Tudo bem, e você?". São palavras rápidas do dia-a-dia que me fazem pensar em putaria. Rimou hoho. Tudo passa muito rápido, e eu não consigo parar de escrever. Eu queria falar sobre uma história fantástica, mas me delimitarei a história de mim mesmo. Acho que já basta. No fundo, todo diário, todo livro, por mais que você se refira a um diário (que gay) ou uma personagem, você está se referindo a si mesmo. Incrível né? Meu grande problema é que ainda não consegui aprender a escrever sem pensar em mim mesmo. Minhas idéias estão acabando, e ainda faltam malditos 11 minutos. Merda, lá vai então a história de João. João, fodão, se achava o rei da cocada e não pensava em mais nada (???). Merda não posso voltar atrás da minha história. Pobre joão... (peraí deixa eu ler enquanto eu escrevo o que eu já escrevi sobre ele.................), é então... ele era o maloqueiro zé buceta. Zé fode-fode. "Quem é o maior come cu do brasil?" "É você joão..." Assim retrucavam todas as damas-da-vida (e mulheres que deram pra ele mesmo) a sua incrível destreza e habilidade de penetrar o cólon. Os pedacinhos de milho não eram nada para o João. Ele pensava mais alto. Quem sabe em um pedaço de carne ainda mal digerido, ou um alface ainda esverdeado para as vegetarianas. Merda e mulher não combinam mesmo. Chega de escatologia anal. Se você estiver lendo até aqui, meus parabéns! Você ganhou um palio 0km. Oi!... voltando ao john, john além de gostar de buceta, gostava de golf. É, era um esporte cara, e de gente metida, mas fazer o quê? Cada um com seus dramas. Até que um dia, ele se bateu com o próprio drive e morreu.

Chega, ficou uma merda. Ainda faltaram 7 minutos... não foi engraçado.

Quem me dera ter o gênio de Samuel Beckett.

Expelido por: larica às 14:25
|



Layout por lunatico - Luz Vermelha 2009